Fake news e disseminação de mentiras

Editorial por Bia Ludymila (MTB 0081969/SP) – A Construção da Mentira: Falsificações de Certificados de Vacinação Revelam a Falta de Honestidade de Figuras Políticas

Opinião
Publicado em 11/05/2023
Fake news e disseminação de mentiras

No tratado de ética de Aristóteles, há uma definição de homem verídico como aquele que é sincero em sua vida e em suas palavras, reconhecendo suas próprias qualidades sem exageros ou subtrações. Porém, quando nos perguntamos se essa definição se aplica a figuras políticas como Jair Bolsonaro, Luiz Inácio e os presidentes da Câmara e do Senado, assim como deputados e senadores em geral, a resposta se revela duvidosa.

No mundo político, a veracidade das palavras muitas vezes dá lugar ao embuste, conforme expressado pela célebre frase do cardeal Mazzarino, que ganhou o título de papa em 1632 para realizar missões diplomáticas. Mazzarino era conhecido por sua postura cínica, simulando, dissimulando, desconfiando de todos, elogiando a todos e antecipando suas ações.

Esses princípios parecem se encaixar perfeitamente nos protagonistas envolvidos no imbróglio das falsificações de certificados de vacinação, com destaque para o ex-presidente Jair Bolsonaro. Será que ele não sabia o que seu ajudante de ordens, tenente-coronel Mauro Cid, estava fazendo? Será que Cid não utilizou um computador do Palácio do Planalto para acessar os sistemas do Ministério da Saúde e obter documentos falsos de vacinação para o presidente e seus familiares?

O problema da mentira é uma das pragas mais nefastas da humanidade. Falsas narrativas destroem reputações e são tão prejudiciais quanto a terrível pandemia de COVID-19, responsável por inúmeras mortes nos últimos anos. É lamentável constatar que, mesmo diante dos avanços científicos, da tecnologia e da inteligência artificial, que contribuem para o progresso e a longevidade da vida humana, a mentira e suas diversas formas, como narrativas enganosas, abordagens absurdas e visões apocalípticas, ganham cada vez mais espaço nas mãos dos manipuladores e usuários das redes sociais. Essas plataformas se transformam em palcos iluminados para o ego, propagando propaganda falsa, disseminando insultos e ignorando os danos causados à humanidade. Como bem disse Buda: “O conflito não é entre o bem e o mal, mas entre o conhecimento e a ignorância”.

A sinceridade de um homem se manifesta quando ele é reto em suas palavras. A qualidade das palavras, por sua vez, reflete-se nos detalhes, nas minúcias, nos pequenos elementos de ideias e memórias que surgem de forma instintiva nas mentes dos interlocutores.

Em um momento histórico do Brasil, durante o governo do presidente Fernando Collor de Mello, surgiram revelações importantes. Eriberto França, motorista da então secretária do presidente, Ana Acioli, afirmou que empresas vinculadas a PC Farias faziam depósitos em contas fantasmas. Esse fato foi simbólico e revelador. Naquela época, o contexto social favorecia as oposições, e um incidente emblemático ficou conhecido como o “caso Fiat Elba”, que se tornou um tormento para Collor. Hoje, em meio às recentes revelações envolvendo a falsificação de certificados de vacinação, podemos observar um paralelo curioso. O personagem central dessa trama é o “Zé Gotinha”, como habilmente expressou o jornalista Octávio Guedes, da Globo News, cuja imagem tende a se transformar em um símbolo negativo para o presidente Jair Bolsonaro.

A verdade é que o “mentirário” – o confessionário das vacinas – está sendo trazido à tona, ameaçando minar as perspectivas eleitorais de Jair Messias. A manipulação da verdade e as falsas narrativas não são novidade na história. O ex-presidente encontra-se em uma situação delicada, pressionado por um dilema que envolve a cruz e a caldeirinha. Pode ser que os defensores ferrenhos do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva não consigam avançar nas Comissões Parlamentares de Inquérito (CPIs) em curso, e acabem entregando, de bandeja, uma vitória para o bolsonarismo. Nesse caso, o capitão vislumbraria uma porta aberta para o futuro.

A distorção da verdade também encontrou espaço em momentos históricos protagonizados por outras figuras ilustres. Confúcio, por exemplo, modificou um calendário histórico chinês ao substituir algumas palavras. O texto original dizia: “O senhor de Kun condenou à morte o filósofo por ter dito frito e cozido”. No entanto, o sábio substituiu a expressão “condenou à morte” por “assassinou”. Lenin, por sua vez, pretendia descrever a exploração e a opressão da Ilha Sakhalin pela burguesia russa, mas, ameaçado pela polícia czarista, ele trocou “Rússia” por “Japão” e “Sakhalin” por “Coreia”.

A manipulação da história, seja por subtração ou acréscimo, tem sido uma artimanha utilizada por indivíduos que lidam com ideias para satisfazer seus próprios egos e preservar o poder.

Diante disso, surge a dúvida: a democracia não deve pagar um preço por essas práticas? A honra, a honestidade e a integridade não deveriam ser valores inalienáveis no paradigma da administração pública? Ou estamos presenciando uma situação em que a ética dos poderosos prevalece sobre a ética dos humildes?

As perguntas permanecem, e a sociedade como um todo precisa refletir sobre esses dilemas que permeiam o cenário político atual. O confronto entre a verdade e a mentira, entre o conhecimento e a ignorância, é um desafio constante que demanda vigilância e um compromisso inabalável com a transparência e a responsabilidade. Somente assim poderemos construir uma sociedade mais justa e íntegra.

*Com base no texto do professor Gaudêncio Torquato, escritor, jornalista, professor titular da Escola de Comunicações e Artes da USP e consultor político; Jornal da USP.

Leia mais em Opinião

Editorial: Entre a Liberdade de Expressão e a Segurança Democrática
Opinião
Musk, defensor da liberdade irrestrita nas redes sociais, argumenta que as medidas adotadas por Moraes para combater a desinformação e proteger a democracia brasileira são, em...
Editorial: Os Desafios da Juventude na Gestão de Fortunas Familiares
Opinião
A inexperiência e a falta de maturidade podem representar sérios riscos para a saúde financeira não apenas do herdeiro, mas também da empresa e de seus pares. A pressão para...
Editorial – Fracasso e Incompetência, Seria Mesmo Possível ?
Opinião
O episódio de Mossoró, portanto, deve servir como um chamado à ação. Não apenas para corrigir as falhas imediatas que permitiram tal fuga, mas para embasar uma reforma mais...
Editorial: Precisamos trabalhar para viver, não viver para trabalhar
Opinião
Para muitos de nós, o trabalho não é apenas uma atividade que realizamos para garantir nosso sustento, mas também uma parte fundamental de nossa identidade e propósito. No...
Editorial: Eternamente Faça Valer
Opinião
Este é um momento crucial para nossa comunidade. A escolha de nossos líderes locais tem um impacto direto em nossas vidas cotidianas - desde a qualidade dos serviços públicos...
Editorial – Ah Musicaah
Opinião
Não podemos ignorar o impacto social da música. Ela serve como um veículo para a expressão de ideias, críticas sociais e narrativas que ecoam as complexidades da sociedade em...

Últimas novidades

Noticias de Caieiras e Região na Edição 75: Avanços Tecnológicos com a Chegada do 5G
Edição da Semana
Nesta edição, mergulhamos nas vibrações culturais e nos acontecimentos impactantes de nossa comunidade. Não perca a cobertura exclusiva do espetáculo teatral "O Homem...
‘O Homem Capivara Contra Vargas’ Promete Revolucionar a Cena Cultural de Caieiras
Entretenimento
Em um mergulho caleidoscópico pelo teatro, "O Homem Capivara Contra Vargas" se apresenta não apenas como uma peça de entretenimento, mas como um convite reflexivo aos meandros...
Repercussão e Reversão: O Caso da Pedreira em Caieiras 2024
Caieiras
O episódio de Caieiras é um lembrete poderoso do papel que a vigilância social e a responsabilidade política desempenham na preservação dos recursos naturais e na...
Caieiras celebra sua expressão cultural com o festival “Cidade das Artes”
Entretenimento
Com um panorama vibrante de atividades artísticas, o Festival "Caieiras Cidade das Artes" promete ser um marco cultural na cidade, com eventos programados de 22 de abril a 05 de...
Caieiras Celebra Diversidade Cultural na 17ª Festa dos Estados: Entrada Gratuita e Atrações para Todos
Entretenimento
Este ano, a festividade, que já se tornou um marco na cidade, é uma iniciativa conjunta da Paróquia Santa Rita de Cássia e da Prefeitura de Caieiras. Os visitantes poderão...
Prefeito de Franco da Rocha Anuncia Diagnóstico de Câncer e Reafirma Compromisso com a Cidade
Notícias
"Já estou de volta ao trabalho, atuando normalmente na Prefeitura, e não posso deixar de agradecer aos profissionais de saúde que têm sido verdadeiros aliados nessa...

Jornal Fala Regional

Nosso objetivo é levar conteúdo de forma clara, sem amarras e de forma independente a todos. Atendemos pelo jornal impresso as cidades de Caieiras, Franco da Rocha, Francisco Morato, Mairiporã e Cajamar, toda sexta-feira nas bancas. Pela internet o acesso é gratuito e disponível a todos a qualquer momento, do mundo inteiro.

Vamos Bater um Papo?