PL que proíbe união homoafetiva pode ser votado em breve na Câmara

A Comissão de Previdência, Assistência Social, Infância, Adolescência e Família da Câmara dos Deputados agendou para esta terça-feira (19) a votação de um projeto de lei (PL) que visa proibir o casamento entre pessoas do mesmo sexo. A mobilização dos legisladores para aprovar esse projeto provocou uma forte reação da comunidade LGBTI+ no Brasil, que considera essa medida inconstitucional e um ataque à cidadania.

Cotidiano
Publicado por Bianca Ludymila em 19/09/2023
PL que proíbe união homoafetiva pode ser votado em breve na Câmara

Em 2011, o Supremo Tribunal Federal (STF) equiparou as relações entre pessoas do mesmo sexo às uniões estáveis entre homens e mulheres, reconhecendo, assim, a união homoafetiva como uma forma de núcleo familiar. Em 2013, o Conselho Nacional da Justiça (CNJ) determinou que todos os cartórios do país celebrassem casamentos homoafetivos.

Toni Reis, David Harrad e os filhos, na comemoração dos 10 anos de casamentos homoafetivos no Brasil - Foto: Divulgação
Toni Reis, David Harrad e os filhos, na comemoração dos 10 anos de casamentos homoafetivos no Brasil – Foto: Divulgação

Por outro lado, o texto que está prestes a ser analisado na Comissão da Câmara propõe a inclusão de um trecho no Artigo 1.521 do Código Civil, que afirma: “De acordo com a Constituição, nenhuma relação entre pessoas do mesmo sexo pode ser equiparada ao casamento ou à entidade familiar.” Atualmente, o Artigo 1.521 enumera as situações em que o casamento não é permitido, como nos casos de união entre pais e filhos ou de pessoas já casadas.

Na justificação do projeto, o relator do texto, o deputado federal Pastor Eurico (PL-PE), argumentou que o casamento “representa uma realidade objetiva e atemporal, que tem como ponto de partida e finalidade a procriação, o que exclui a união entre pessoas do mesmo sexo.”

Ao defender a aprovação do projeto, o relator Pastor Eurico citou o parágrafo 3º do Artigo 226 da Constituição, que estabelece que “para efeito de proteção do Estado, é reconhecida a união estável entre o homem e a mulher como entidade familiar, devendo a lei facilitar sua conversão em casamento.” Assim, Pastor Eurico argumenta que “fica claro que a própria Constituição restringe a possibilidade de casamento ou união entre pessoas do mesmo sexo.”

O deputado pernambucano também criticou a decisão do STF que reconheceu a união homoafetiva, alegando que “mais uma vez, a Corte Constitucional brasileira ultrapassou a competência do Congresso Nacional, exercendo atividade legislativa incompatível com suas funções típicas.”

Ataque à cidadania

A tentativa de aprovar um projeto que proíbe o casamento homoafetivo foi duramente criticada por organizações de direitos humanos e pela comunidade LGBTI+. O presidente da Aliança Nacional LGBTI+, Toni Reis, um dos autores da ação que levou à decisão do STF a favor do casamento homoafetivo, acredita que o projeto não deve avançar no Congresso Nacional. Ele afirma que essa iniciativa “fomenta discursos de ódio, pois eles não desejam que nós existamos como cidadãos e cidadãs.”

Sobre o argumento apresentado pelo relator, Toni Reis lembrou que o Supremo considerou que os artigos 3º e 5º da Constituição têm mais peso do que o Artigo 226. “Esse Artigo 226 está em conflito com o Artigo 5º, que estabelece que todos são iguais perante a lei, sem qualquer distinção. Portanto, o Supremo priorizou o Artigo 5º, que é uma cláusula pétrea”, argumentou. As cláusulas pétreas são os artigos da Constituição que não podem ser alterados nem mesmo por meio de uma proposta de emenda à Constituição (PEC).

Toni Reis acrescentou que o projeto representa um ataque à cidadania no Brasil. O presidente da Associação Brasileira de Famílias Homotransafetivas (Abrafh) também destacou o lançamento, nesta terça-feira, da Frente Parlamentar Mista por cidadania e direitos LGBTI+ no Congresso Nacional, com o apoio de 262 deputados e senadores. “O reconhecimento do casamento homoafetivo é um caminho sem volta”, concluiu.

O Grupo Estruturação – LGBT+ de Brasília convocou um ato de repúdio contra o projeto de lei para hoje, às 11h, em frente ao anexo II da Câmara dos Deputados. O presidente do grupo, Michel Platini, enfatiza a importância da preservação desse direito. “Com o reconhecimento das uniões homoafetivas, a população LGBT+ passou a ter acesso aos direitos civis, que agora estão sob ameaça. É fundamental que a sociedade brasileira compreenda a relevância dessas conquistas e se una para proteger os direitos e a dignidade de todos os seus cidadãos, independentemente da orientação sexual.”

*Com informações da Agência Brasil.

Leia mais em Cotidiano

Frei Gilson no Podcast Inteligência Ltda: Fé e Música em Debate
Cotidiano
Frei Gilson, sacerdote carmelita e cantor, participou do podcast Inteligência Ltda. Com quase 5 milhões de inscritos no YouTube, ele é um dos principais líderes religiosos do...
Influenciadora na Área de Concursos Públicos: Carla Gabola morreu
Cotidiano
Carla Gabola, influenciadora de concursos públicos com mais de 440 mil seguidores no Instagram, faleceu após complicações de uma cirurgia para tratamento de endometriose. A...
Ator de Pantanal: Thommy Schiavo morreu aos 39 anos
Cotidiano
O ator Thommy Schiavo, de 39 anos, faleceu após cair de uma sacada em Cuiabá. Conhecido por seu papel em "Pantanal", ele se desequilibrou após beber com amigos. O velório...
20 de julho é o Dia Internacional da Amizade: Celebrando os Laços que nos Unem
Curiosidades
O Dia Internacional da Amizade, celebrado em 20 de julho, foi criado pela ONU em 2011 para promover a paz e os laços afetivos entre povos, culturas e nações, destacando a...
Moda penitenciária: Que roupa se deve usar para visitar presidiários? jovem fatura com looks para cunhadas
Cotidiano
Camila Bezerra, empreendedora que começou vendendo roupas nas filas de visitação aos presídios, transformou sua experiência em um negócio de sucesso. Hoje, ela tem uma loja...
Sérgio Cabral morreu deixando um Legado de Música, Futebol e Jornalismo
Cotidiano
Sergio Cabral, jornalista e compositor, faleceu aos 87 anos. Conhecido por seu trabalho no jornalismo e na música, Cabral deixou uma marca significativa na cultura brasileira....

Últimas novidades

Novo medicamento para emagrecer: Wegovy já está disponível nas farmácias brasileiras
Saúde e Bem-Estar
O Wegovy, medicamento para obesidade da farmacêutica dinamarquesa Novo Nordisk, já está sendo comercializado em farmácias brasileiras. A injeção semanal é composta por...
Venezuela: ‘Tome um chá de camomila’, diz Maduro após Lula manifestar preocupação
Política
O presidente da Venezuela, Nicolás Maduro, causou preocupação ao falar sobre um "banho de sangue" caso não vença as eleições. Lula, presidente do Brasil, respondeu...
‘Mais de uma vez, até’: Donald Trump diz que está pronto para debater com Kamala Harris
Internacional
Donald Trump e Kamala Harris estão prontos para debater nas eleições presidenciais de 2024. Trump está disposto a participar de mais de um debate com Kamala, que está perto...
Correios Abrem Concurso com Vagas Atraentes e Bons Salários
Brasil
Correios lançam edital para concurso com 33 vagas na área de medicina e segurança do trabalho. Salários iniciais de até R$ 6,8 mil. Inscrições de 7 de agosto a 8 de...
Taxa das blusinhas começam a valer dia 1º de agosto
Tecnologia
A partir de 1º de agosto, compras internacionais de até US$ 50 serão tributadas com um imposto de 20%. AliExpress e Shopee anteciparam a cobrança para 27 de julho. Entenda...
Cheiro estranho e alerta ambiental: Cocaína encontrada em tubarões no RJ
Brasil
Cientistas encontraram cocaína no organismo de tubarões-bico-fino na costa do Rio de Janeiro. Esta descoberta levanta questões sobre o impacto da poluição humana na vida...

Jornal Fala Regional

Nosso objetivo é levar conteúdo de forma clara, sem amarras e de forma independente a todos. Atendemos pelo jornal impresso as cidades de Caieiras, Franco da Rocha, Francisco Morato, Mairiporã e Cajamar, toda sexta-feira nas bancas. Pela internet o acesso é gratuito e disponível a todos a qualquer momento, do mundo inteiro.

Vamos Bater um Papo?